Mais Liberdade
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

2022-09-13

Por +Factos

Apoios imediatos anunciados pelo governo para compensar perda de poder de compra dos cidadãos

💶 Enquanto o Estado atinge níveis recorde de receita fiscal, à boleia da inflação (+5 mil milhões de euros no 1.º semestre), as famílias portuguesas perdem bastante poder de compra, que é apenas parcialmente compensado pelos apoios imediatos anunciados pelo governo.

Na semana passada foi anunciado o pacote de apoios às famílias, prometido pelo primeiro-ministro em Julho. O Governo, num Conselho de Ministros extraordinário, aprovou várias medidas, sendo que as que terão um impacto imediato (a pensão extraordinária no valor de 50% da pensão mensal, o cheque de 125 euros por pessoa até aos 2.700 euros de rendimento mensal bruto e o cheque de 50 euros por cada dependente até 24 anos), estão orçadas em 1.840 milhões de euros.

No entanto, os apoios anunciados pelo Governo são escassos para que as famílias consigam fazer frente ao acentuado aumento do custo de vida, apesar do Estado registar aumentos históricos na receita fiscal.

Se considerarmos uma família com 2 filhos dependentes, com os pais a auferir o rendimento base bruto médio de 1.069 euros mensais, o impacto da subida generalizada dos preços no rendimento líquido nos primeiros 8 meses do ano foi de 1.036 euros. No entanto, o apoio imediato que o Estado irá proporcionar a estes contribuintes é de apenas 350 euros (125€ por cada adulto trabalhador e 50€ euros por cada filho dependente), ou seja, 34% da perda de poder de compra perdido. Em termos líquidos, há uma perda de poder de compra de 686 euros (até ao final do ano, o valor acumulado em termos de perda de poder de compra ainda irá crescer).

Se considerarmos um sujeito passivo solteiro sem filhos que aufira o rendimento base bruto médio, o impacto da subida generalizada dos preços no rendimento líquido nos primeiros 8 meses do ano foi de 518 euros. No entanto, o apoio imediato que o Estado irá proporcionar a este indivíduo é de apenas 125 euros, ou seja, 24% da perda de poder de compra perdido. Em termos líquidos há uma perda de poder de compra de 393 euros.

#MaisFactos

Instituto +Liberdade

Em defesa da democracia-liberal.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

info@maisliberdade.pt

© Copyright 2021 Instituto Mais Liberdade - Todos os direitos reservados

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Your cookie preferences have been saved.