Mais Liberdade
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

2022-05-31

Por +Factos

Denúncias de crimes por violação

⚠️ No final de Abril de 2022, foi entregue no Parlamento uma petição, com mais de 100 mil assinaturas, para se tornar a violação num crime público - o que permitiria a qualquer pessoa denunciar um caso destes às autoridades sem a permissão da vítima. E na passada quarta-feira, 18 de Maio, este pedido foi reforçado por uma carta aberta assinada por um grupo de mulheres de vários quadrantes políticos e da sociedade.

Segundo o Relatório Anual de Segurança Interna, em 2021 houve mais 82 casos de violação em Portugal, em comparação com o ano anterior (um aumento de 26%). Apesar de parte deste aumento do número de violações poder estar relacionado com o facto do país ter enfrentado enormes restrições devido a pandemia de Covid-19 em 2020, também é verdade que em 2021 se mantiveram muitas dessas medidas restritivas e o número total de violações (397) ficou acima da média anual nos últimos 7 anos (383).

Os números divulgados mostram também que 94% das vítimas de violação são mulheres e que em 77% dos casos a vítima e o agressor já se conheciam previamente. Ou seja, existia uma proximidade prévia, que podia ser numa relação familiar, laboral ou relacional. Em termos etários, 64% das vítimas têm menos de 30 anos, ao passo que 56% dos agressores têm mais do que 30 anos.

Relativamente à percentagem de casos de violação que são efectivamente denunciados às autoridades, não existem dados para Portugal. A nível europeu, a fonte mais recente é um inquérito realizado em 2014, que mostra que 86% dos casos de violação não são denunciados. Entre os motivos mais frequentes para esse “silêncio” estão a vergonha ou desejo de manter a situação privada, o facto de as vítimas preferirem não ter apoio ou terem apenas ajuda familiar, a ideia de que denunciar não faria diferença, ou o medo do agressor.

Instituto +Liberdade

Em defesa da democracia-liberal.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

info@maisliberdade.pt

© Copyright 2021 Instituto Mais Liberdade - Todos os direitos reservados

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Your cookie preferences have been saved.