Mais Liberdade
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

2022-02-01

Por David Henderson

Controlo de Preços – o Consenso dos Economistas

O economista americano David Henderson dá-nos conta de um recente inquérito realizado junto de 43 economistas de prestigiadas universidades americanas que revela que o atual consenso na profissão é de que o controlo governamental dos preços de mercado não é uma boa maneira de lidar com a inflação.

O inquérito do mês passado da "Iniciativa sobre Mercados Globais" da Booth School of Business da Universidade de Chicago inclui a seguinte afirmação:

Controlos de preços como aqueles que foram implementados nos anos 70 seriam capazes de reduzir com êxito a inflação dos EUA ao longo dos próximos 12 meses.

Aos 43 economistas inquiridos, todos eles associados a universidades de prestígio, é perguntado se discordam, se discordam profundamente, se concordam, se concordam profundamente ou então se não têm a certeza. É-lhes também dada a opção de dizerem que não têm opinião formada ou de não responderem.

0 concordaram profundamente, 10 concordaram, 21 discordaram, 4 discordaram profundamente, 5 não têm a certeza, 1 não tem opinião formada e 2 não responderam. Assim, 25 dos 43 discordaram ou discordaram profundamente.

Porque é que nem todos eles discordaram – o que, a meu ver, seria o mais expectável, tanto com base na lógica económica mais básica a respeito do controlo de preços, como também com base na nossa má experiência dos anos 70?

Uma das razões é que alguns dos economistas inquiridos leram a pergunta com mais atenção do que eu. Eu entendi que a afirmação se referia ao custo efetivo de adquirir bens de uma determinada qualidade. É sabido que o controlo de preços conduz à redução da qualidade e também aumenta o custo em termos de tempo necessário para a aquisição de determinados bens [i.e. gera escassez e filas de espera].

Porém, não resultava claro da afirmação que estes factores devessem ser considerados.

A minha suposição é que aqueles que expressaram desacordo tinham em mente algo parecido com o que eu próprio considerei. Alguns deles, como Robert Shimer da Universidade de Chicago, expressaram-no. E muitos dos que expressaram acordo assinalaram que o valor da inflação reportada poderia baixar, mas que haveria problemas enormes.

Eis os comentários de 9 dos 10 que manifestaram acordo e que se deram ao trabalho de apresentar os seus motivos:

Daron Acemoglu, MIT. Controlos de preços, por definição, reduziriam o aumento de preços, mas gerariam muito provavelmente outras enormes distorções.

David Auto, MIT. Controlos de preços podem, naturalmente, controlar preços – mas são uma péssima ideia!

Darrell Duffie, Stanford. Com exceção de eventuais cotações ilegais de preços, a afirmação parece ser mecanicamente verdadeira. Uma questão mais interessante é saber se o controlo de preços é uma boa ideia.

Aaron Edlin, Berkeley. Os controlos de preços conseguiriam reduzir temporariamente a inflação à custa de escassez e possivelmente nova inflação mais adiante.

Oliver Hart [Prémio Nobel], Harvard. Poderiam reduzir a inflação, mas a consequência seria escassez e racionamento.

Kenneth Judd, Stanford. Sim, poderiam reduzir a inflação no curto prazo – mas apenas temporariamente –, tal como aconteceu com os controlos de 1971. Demasiada criação de dinheiro.

Eric Maskin [Prémio Nobel], Harvard. Imagino que o controlo de preços conseguisse conter a inflação – mas isso não significa que tais controlos sejam uma boa ideia.

Jose Scheinkman, Columbia University. Poderiam reduzir a inflação medida, mas gerariam ineficiências e levariam a inflação ainda mais elevada quando os controlos fossem levantados (veja-se EUA 1974).

Richard Schmalensee, MIT. Ao longo de 12 meses, provavelmente; mas com custos significativos.

Note-se que todos os 9 afirmam, basicamente, que o controlo de preços é uma má ideia. A única pessoa que manifestou acordo mas não especificou os seus motivos foi Amy Finkelstein do MIT.

4 dos 5 que manifestaram incerteza indicaram os problemas que são tipicamente apontados por aqueles que criticam os controlos de preços:

Robert Hall, Stanford. Alguns analistas consideram que a elevada inflação de 1974 foi o resultado dos controlos anteriores, o que indicia alguns dos efeitos dos controlos.

William Nordhaus [Prémio Nobel], Yale. Talvez pudessem reduzir a inflação no curto prazo, como nos anos 70. Só causariam mais escassez e são uma péssima ideia.

Carl Shapiro, Berkeley. O que significa “com êxito”? Os aumentos de preços poderiam em certa medida ser controlados, mas os problemas de oferta subjacentes seriam agravados.

James Stock, Harvard. Poderá registar-se algum êxito efémero devido à forma como a inflação é medida, mas a mais longo prazo o controlo de preços seria ineficaz.

Portanto, 9 dos 10 que concordaram acham que o controlo de preços é uma má ideia e 4 dos 5 que manifestaram incerteza consideram-nos uma má ideia. Acrescentem-se estes 9 e 4 aos 21 e 5 que discordaram ou discordaram profundamente, e temos 39 em 43 que são explicitamente críticos do controlo de preços.

Nem um só afirmou que o controlo de preços era uma boa ideia.

A propósito, ainda que eu não costume elogiá-lo com frequência, adorei a justificação que Austan Goolsbee, da Universidade de Chicago, apresentou para a sua resposta de Discordância Profunda:

Parem. A sério.

Figura: Demonstração gráfica da escassez gerada pelo controlo de preços.

[Artigo originalmente publicado no site EconLog, blog de economia do Liberty Fund. Tradução: Francisco Silva. Revisão: Pedro Almeida Jorge. Também disponível em versão áudio no Podcast +Liberdade.]

Instituto +Liberdade

Em defesa da democracia-liberal.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

info@maisliberdade.pt

© Copyright 2021 Instituto Mais Liberdade - Todos os direitos reservados

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Your cookie preferences have been saved.