Mais Liberdade
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

2021-09-09

Por Instituto +Liberdade

Estudo conclui que a liberdade económica fomenta a mobilidade social

De acordo com um novo estudo hoje divulgado pelo Instituto +Liberdade em parceria com o Fraser Institute, um instituto canadiano de reflexão sobre políticas públicas independente e apartidário, a liberdade económica aumenta a mobilidade de rendimentos. Nos países com mais liberdade económica, os pobres têm mais oportunidades de sair da pobreza e de construir um futuro próspero.

Muitos fatores contribuem para a liberdade económica, mas os mais importantes para a mobilidade de rendimentos são o Estado de Direito e a (ausência de) legislação restritiva à atividade económica. Nos países menos livres economicamente, os governos e as elites dominantes usam o Estado de Direito não para proteger os direitos e liberdades de todos os cidadãos, mas para reforçar os privilégios dos interesses instalados, ao mesmo tempo que enfraquecem os direitos e liberdades do resto das pessoas.

Do mesmo modo, a legislação restritiva é muito frequentemente usada para excluir pessoas de determinados empregos e do acesso a oportunidades, mesmo em países cujo Estado de Direito é relativamente robusto. A regulamentação governamental pode exigir que os trabalhadores adquiram licenças profissionais ou formação específica para obterem credenciais antes de poderem começar a trabalhar.

 

Este estudo demonstra também que uma legislação laboral restritiva dificulta o crescimento dos salários dos trabalhadores com rendimentos mais baixos. Em particular, o licenciamento/certificação profissional tendem a prejudicar mais o crescimento dos rendimentos entre os mais desfavorecidos do que entre os trabalhadores com rendimentos mais elevados.

O mesmo efeito é sentido entre os cidadãos que gostariam de abrir uma empresa, pois enfrentam barreiras à entrada em certas áreas de negócio devido à pesada aplicação de impostos e de taxas.

"Se os governos tiverem mesmo intenções de ajudar os trabalhadores com rendimentos mais baixos a subir na escala de rendimentos durante e após o período de recuperação da pandemia da COVID-19, devem olhar para a legislação e procurar formas de aumentar a liberdade económica nos seus países", afirmou Vincent Geloso, Professor Assistente de Economia na Universidade George Mason, Senior Fellow do Fraser Institute e co-autor do presente estudo, "Economic Freedom Promotes Upward Income Mobility”.


O Fraser Institute produz anualmente o relatório Economic Freedom of the World, em cooperação com a Economic Freedom Network, uma rede de Institutos de Investigação e Educação independentes com membros em quase 100 países e territórios. O relatório Economic Freedom of the World é a principal referência sobre liberdade económica a nível mundial. No último relatório, Portugal aparecia em 43º lugar empatado com o Botswana. O próximo relatório será divulgado no final de Setembro e terá a colaboração do Instituto +Liberdade.

https://maisliberdade.pt/biblioteca/a-liberdade-economica-promove-a-mobilidade-ascendente-de-rendimentos/

 

Instituto +Liberdade

Em defesa da democracia-liberal.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

info@maisliberdade.pt

© Copyright 2021 Instituto Mais Liberdade - Todos os direitos reservados

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Your cookie preferences have been saved.