Mais Liberdade
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

2022-12-05

Por Instituto +Liberdade

Exposição sobre o 25 de novembro vandalizada

O alvo foi um painel sobre a entrevista polémica de Álvaro Cunhal em 1975 a Oriana Fallaci

Em 1975, em pleno PREC (Processo Revolucionário em Curso), Álvaro Cunhal referia numa entrevista a Oriana Fallaci que "em Portugal, doravante, não existirá qualquer hipótese para a instauração de uma democracia como as que se conhecem na Europa Ocidental. Nunca mais.". Garantia ainda que "em Portugal não existirá um Parlamento" e que "Portugal não será um país com liberdades democráticas (...) Porque não o permitiremos."

Esta entrevista polémica, em que Álvaro Cunhal desvendava de forma clara os seus objetivos de implantação de uma ditadura de extrema-esquerda em Portugal, faz parte de um dos painéis da exposição 25N, do Instituto +Liberdade, patente na Alameda D. Afonso Henriques, em Lisboa. No entanto, na passada noite o painel foi vandalizado, tendo sido cortado e removido. Foram ainda arrancados e roubados os 7 sensores de luminosidade presos às estruturas, que permitiam controlar automaticamente a iluminação no interior dos muppies.

Esta exposição foi lançada no dia 25 de novembro, celebrando 47 anos do 25 de novembro de 1975. Ao longo de 14 painéis, a exposição relata os principais episódios ocorridos após o 25 de abril de 1974, que culminou no 25 de novembro do ano seguinte. Um período de forte turbulência política e social, conhecida como o Processo Revolucionário em Curso. A 25 de novembro evitou-se um golpe de forças de extrema-esquerda, travado por forças militares democráticas, o que permitiu a instauração de uma democracia pluralista em Portugal.

Já não é a primeira vez que uma exposição do Instituto +Liberdade causa polémica. Em outubro, a exposição internacional "Memória - Totalitarismo na Europa" foi recusada na Assembleia da República devido a "reservas" dos partidos de esquerda. Esta exposição internacional recorda o passado trágico da Europa às mãos de regimes totalitaritários, e homenageia as vítimas do nazismo, fascismo e comunismo. Já passou pelo Parlamento Europeu e pela Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, mas não teve permissão para ser exposta no parlamento português.


O vandalismo não derrubará o conhecimento nem alterará a história. Partilhamos em baixo o painel da exposição 25N que foi vandalizado:

Instituto +Liberdade

Em defesa da democracia-liberal.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

info@maisliberdade.pt

© Copyright 2021 Instituto Mais Liberdade - Todos os direitos reservados

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Your cookie preferences have been saved.