Mais Liberdade
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

2021-11-12

Por Instituto +Liberdade

Instituto +Liberdade assina Declaração Internacional pelo Ambientalismo de Mercado

A Declaração Internacional sobre o Ambientalismo de Mercado, baseada no livro Green Market Revolution, concentra-se em quatro princípios fundamentais: a economia de mercado, direitos de propriedade privada, descentralização e otimismo e inovação. A iniciativa é liderada por Christopher Barnard da American Conservation Coalition e Kai Weiss do Austrian Economics Center, em parceria com a C3 Solutions. Juntos, afirmamos a necessidade de proteger o meio ambiente e o planeta, usando esses princípios.

Os signatários são oriundos de mais de 60 países diferentes e cada um traz uma perspectiva única para esta conversa crítica. Promover esses princípios baseados no mercado na COP26, onde a política é frequentemente discutida de uma perspectiva de cima para baixo, é crucial para a missão de proteger o meio ambiente e combater as alterações climáticas.


As organizações e membros da sociedade civil de todo o mundo,

Declaram e comprometem-se a defender os quatro seguintes princípios:

1. Economia de Mercado: O sucesso económico e ambiental não são mutuamente exclusivos. Embora muitos afirmem que a "abordagem de mercado" já foi tentada, é uma "abordagem de compadrio" que frequentemente tem prevalecido, marcada por subsídios aos combustíveis fósseis, por monopólios da energia, e por captura dos reguladores. Quanto mais livre for uma economia, melhores serão os seus resultados ambientais. À medida que as economias enriquecem, elas tornam-se mais eficientes e ambientalmente conscienciosas, o que leva a uma redução gradual da relação entre o crescimento económico e a poluição. Só a natureza dinâmica da economia de mercado incentiva os empresários a fazer "mais com menos" e a criar inovações que limitem a nossa pegada ecológica. O comércio livre é crucial tanto para a inovação como para a cooperação entre as pessoas de todo o mundo na resolução conjunta dos desafios ambientais.

2. Direitos de propriedade privada: Os direitos de propriedade proporcionam os incentivos tanto para a sustentabilidade como para a responsabilização ambientais. Aquilo que é de todos não é de ninguém – e portanto acaba negligenciado. A propriedade privada, pelo contrário, estimula a manutenção e a responsabilidade. Direitos de propriedade robustos incluem também a possibilidade de negociar os recursos naturais, permitindo aos mercados a sua reafetação com o propósito de os conservar.

3. Descentralização: Muitos desafios ambientais são de natureza comunitária, e as comunidades locais estão mais bem posicionadas do que os governos para gerir os seus recursos comuns. Onde aos dirigentes centrais falta a informação concreta no terreno, às comunidades está disponível o conhecimento dinâmico e descentralizado necessário para implementar estratégias de conservação eficazes. Descentralizar o poder das burocracias governamentais para as comunidades locais promove a cooperação em proximidade, a gestão dos recursos, e a responsabilização ambiental.

4. Otimismo e Inovação: Niilismo, “decrescimento”, e misantropia são os inimigos do ambiente. Temos de abraçar o otimismo e o poder da inovação para alcançarmos uma mudança real. Os seres humanos não são uma praga no planeta, mas sim o "recurso fundamental", capaz de promover ideias e soluções inovadoras para proteger o nosso ambiente. Os desafios ambientais podem ser resolvidos através da inovação, do progresso tecnológico e do empreendedorismo – e rejeitando abordagens alarmistas e não científicas.

A narrativa ambiental está a mudar. Já não há tempo para impasses políticos. Está na hora de ações e soluções reais. O ambientalismo de mercado afirma o poderoso papel que os mercados, as empresas, o comércio e as comunidades locais desempenham na protecção do nosso ambiente e promove a sua capacidade para o fazerem. No fim de contas, somente uma Revolução Verde dos Mercados poderá assegurar o florescimento da Humanidade e uma verdadeira sustentabilidade ambiental.

Instituto +Liberdade

Em defesa da democracia-liberal.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

info@maisliberdade.pt

© Copyright 2021 Instituto Mais Liberdade - Todos os direitos reservados

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Your cookie preferences have been saved.