Mais Liberdade
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

The Constitution Of Liberty

Friedrich A. Hayek

Filosofia Política, Direito e Instituições, Clássicos, Liberalismo e Capitalismo, Pobreza e Estado Social, Ordoliberalismo

Inglês

Friedrich A. von Hayek completou o manuscrito em língua inglesa de A Constituição da Liberdade no dia do seu sexagésimo aniversário, 8 de Maio de 1959. O livro foi publicado oficialmente a 9 de Fevereiro de 1960, nos Estados Unidos da América.

Nesta obra, Hayek parte para uma defesa profunda e até inovadora da liberdade, ao sustentá-la, não apenas como mais um, mas como o primeiro princípio, fundamental para a manutenção dos restantes valores morais. Primeiro, porque é o que permite a assunção de responsabilidade, desde logo, para pensar e, por isso, progredir intelectualmente. Em segundo, dado o reconhecimento - até conservador (tanto que obriga o autor a redigir, no final, Why I Am Not A Conservative) - da limitação e falibilidade humanas, pela necessidade de abertura ao maior número possível de ideias, como um laboratório experimental, valendo como única forma de reduzir a ignorância.

Ou seja, o austríaco apresenta aqui um argumento epistemológico que eleva, por exemplo, o argumento da concorrência a uma crucialidade transversal e quase existencial, como é pelo facto de termos de lidar com informação e conhecimento disponíveis a níveis de dispersão tais que se tornam impossíveis de processar perfeitamente. É uma lógica anterior às situações concretas do mercado e de uma instrumentalidade de tal maneira intuitiva que imediatamente justifica o sucesso da liberdade na criação de condições para a prosperidade material, assim como, em última análise, da superioridade e preservação de certos valores sobre outros nas sociedades onde existe.

Não obstante o menor impacto em comparação com O Caminho para a Servidão (seu best-seller, de 1944), A Constituição da Liberdade detém hoje o estatuto de clássico da Filosofia Política do século XX, e tem um mérito absolutamente reconhecido tanto por aqueles que são críticos do pensamento de Hayek como pelos admiradores da sua obra.

Manuel Morgado

Tradução portuguesa disponível nas Edições 70.

Instituto +Liberdade

Em defesa da democracia-liberal.

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • Instagram
  • Linkedin

info@maisliberdade.pt

© Copyright 2021 Instituto Mais Liberdade - Todos os direitos reservados

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Este website utiliza cookies no seu funcionamento

Estas incluem cookies essenciais ao funcionamento do site, bem como outras que são usadas para finalidades estatísticas anónimas.
Pode escolher que categorias pretende permitir.

Your cookie preferences have been saved.